«

»

ago 14

14.08.2017 – Tapa-buraco é pago pelos moradores em ruas de terra de Niterói

Serviço de nivelamento não é visto com frequência nos bairros

POR RENAN ALMEIDA 14/08/2017

Rua Doutor Tabajara de Araújo Gomes, antiga Rua 17 - Thiago Freitas / Agência O Globo

Rua Doutor Tabajara de Araújo Gomes, antiga Rua 17 – Thiago Freitas / Agência O Globo

NITERÓI – O ano é 2017, mas um retrato tirado hoje em endereços da Região Oceânica poderia se confundir com uma foto de décadas atrás. Isso porque ruas de terra e sem calçada, ao fiel estilo interiorano, ainda dominam boa parte da região, ainda chamada, carinhosamente, de roça por alguns moradores. E apesar de obras e investimentos feitos nos últimos anos — o equivalente a R$ 100 milhões, segundo a prefeitura — nessas vias sem asfalto os moradores dizem que nada mudou. A falta de conservação incomoda a ponto de eles pagarem, do próprio bolso, serviços de tapa-buraco, nivelamento e pavimentação.

Na área mais urbanizada e com maior oferta de serviços da região, o Trevo de Piratininga (ou Baixo Piratininga, como já se fala), ruas de terra têm tantos buracos que tentar desviar deles não é opção. Ali, nos quarteirões ao lado da lagoa, a única alternativa para manter o carro inteiro é reduzir a marcha, pisar no freio e ter paciência.

— Está cada vez pior. No passado, em véspera de eleição, passaram uma camada de asfalto, mas é tão fina que sumiu com o tempo. E depois os buracos ficam ainda piores, mais fundos — diz Cristiane Dantes, sobre a Rua Doutor Tabajara de Araújo Gomes, na altura do Trevo.

No Jardim Imbuí, rua de terra é regra. Não deveria mais ser assim, cobra o presidente da Associação de Moradores do Jardim Imbuí, Renan Lacerda. Com boa memória, ele lembra da promessa feita pela prefeitura, em 2013, de que “até 2016, nenhum morador da Região Oceânica vai precisar colocar o pé na lama”.

dsad—Nós não esquecemos do que foi prometido. E o que acontece é que, antes, nós víamos a manutenção com maior frequência; as ruas não ficavam tão ruins. Agora, eles não vêm mais. Os moradores aqui tiveram que se juntar e pagar uma empresa particular fazer o serviço que deveria ser público — critica Lacerda, destacando que os moradores contrataram por conta própria o serviço de retroescavadeira e brita para cobrir buracos.

Itacoatiara se uniu de maneira semelhante em busca de pavimentação. Ali, há anos os moradores cobram, sem sucesso, ruas de paralelepípedos, para manter o aspecto bucólico do bairro. Chegaram num tipo de acordo no ano passado: compraram o material e a prefeitura entrou com a mão de obra e equipamentos para realizar o serviço.

Enquanto Engenho do Mato, Avenida Central, Várzea das Moças, Itaipu (Santo Antônio, Maravista, Serra Grande) permanecem sem asfalto, ruas empoeiradas são passado em algumas localidades.

O Cafubá e a Fazendinha, por exemplo, estão irreconhecíveis depois dos investimentos em urbanização, pavimentação e calçadas padronizadas em todas as vias — com exceção da Rua Estrela, antiga Rua 100. Melhorias iguais foram feitas no Bairro Peixoto. Em Piratininga, o asfalto chegou apenas nas ruas próximas à praia. A prefeitura destacou que foram 150 as ruas com obras executadas nesses bairros, incluindo Camboinhas, Maravista e Maralegre, além da Rua Romanda Gonçalves, com obras em andamento.

daSobre a promessa de pavimentar todas as vias, a prefeitura redefiniu a meta. Agora mudou para “até 2020”.

Quanto à manutenção das vias, a Secretaria de Conservação e Serviços Públicos (Seconser) informou que realiza constantemente o nivelamento das ruas de terra. A prefeitura destacou, ainda, que está em andamento a maior obra de macrodrenagem da Região Oceânica, que vai solucionar problemas de alagamentos ao longo da Estrada Francisco da Cruz Nunes, em áreas como o Trevo de Piratininga e na região próxima ao motel Status, além de beneficiar o loteamento Santo Antônio.

Fonte: Site do Jornal O Globo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Social Widgets powered by AB-WebLog.com.